jusbrasil.com.br
16 de Setembro de 2019

Capte clientes com SEO Jurídico

É hora de desmistificar o marketing jurídico

Bruna Ribeiro, Advogado
Publicado por Bruna Ribeiro
há 28 dias

Computador laptop search engine optimizing conceito de tecnologia seo Foto Premium

Seria um sonho impossível alcançar as primeiras posições dos mecanismos de busca? A resposta é um grande e sonoro NÃO.

Mas, antes de qualquer coisa, vamos começar pelo básico: o que é SEO?

SEO significa Search Engine Optimization (Otimização para mecanismos de busca). São técnicas utilizadas para otimizar páginas da web, ou seja, melhorar o rankeamento, posicionando essas páginas nos primeiros resultados do Google. O principal objetivo seria, então, aumentar o volume de visitas espontâneas (sem usar de anúncios, por exemplo), que recebem o nome de tráfego orgânico.

Pense rápido: quando você entra no Google, ou em qualquer outro buscador, em quais links você clica? Nos primeiros, é claro. A grande maioria das pessoas clica APENAS em resultados de primeira página.

E o que isso tem a ver com a Advocacia? Não é proibido fazer publicidade?

O Art. 28 do código de ética da OAB diz que “O advogado pode anunciar os seus serviços profissionais, individual ou coletivamente, com discrição e moderação, para finalidade exclusivamente informativa, vedada a divulgação em conjunto com outra atividade.”
O Provimento 94 de 2000 do Conselho Federal da OAB disse em seu Art. 1º que “É permitida a publicidade informativa do advogado e da sociedade de advogados, contanto que se limite a levar ao conhecimento do público em geral, ou da clientela, em particular, dados objetivos e verdadeiros a respeito dos serviços de advocacia que se propõe a prestar, observadas as normas do Código de Ética e Disciplina e as deste Provimento.”

Ou seja, os advogados podem (e devem!) utilizar da produção de conteúdo informativo para expor seu trabalho.

No marketing jurídico, o uso da estratégia de SEO é considerada a grande “chamada” para atrair leads, que são as pessoas interessadas em consumir seu produto ou serviço. Para isso, é preciso se colocar no lugar do usuário que está buscando pela informação no mecanismo de pesquisa. Conhecer a fundo a intenção de pesquisa e os resultados que seu público espera encontrar vão te elevar a patamares diferenciados.

Não é preciso muito para se destacar, vamos lá?

  1) Defina seu nicho de atuação

    Não dá para produzir bons artigos, posts, textos sobre todos os assuntos.

    Escolha a área do Direito que você tem mais afinidade ou que é de seu interesse para atuar e entre de cabeça nos estudos. A grande dica para bons conteúdos é dominar o assunto sobre o qual pretende escrever.

    Munido de conhecimento sobre a temática escolhida, pesquise profundamente seu público alvo. Sua escrita deve estar totalmente voltada para aqueles que você pretende alcançar dentro do nicho escolhido, ou seja, você precisa transformar um simples leitor em um potencial lead.

    Entenda quais são as maiores problemáticas jurídicas que envolvam o nicho onde se encontram seus futuros leads e prepare a bagagem para responder, através do seu conteúdo, as dúvidas e necessidades de forma clara e objetiva.

    Exemplo:

    Nicho - Direito do Consumidor

    Público alvo - empresas de varejo e/ou atacado

    Leads - CEO’s, gestores, diretores administrativos

      2) Qualidade e tamanho do conteúdo

      O Google, maior mecanismo de busca da atualidade, possui algoritmos para classificar os conteúdos de baixa qualidade e determinar o rankeamento para o público.

      Por isso, é de suma importância que você crie conteúdo de qualidade, mas é QUALIDADE mesmo ok? Coloque todo seu potencial criativo para fora, invista tempo, leia, releia, peça ajuda se necessário, coloque seu coração nas pontas dos dedos.

      Nada mais valioso do que doar o nosso melhor. O reconhecimento só vem através do trabalho pesado.

      O tamanho também faz toda diferença. De acordo com pesquisas americanas realizadas pela Moz e BuzzSumo, Search Metrics, Yoast e Buffer, um texto bem ranqueado fica na faixa de 1.000 a 1.600 palavras. Mas, isso não impede ranqueamento de um texto menor, é apenas uma média. Aqui reforço a importância do ponto 1: Seu texto deve atender as necessidades do seu nicho, caso contrário ele será descartado pelo leitor.

      A regra aqui é: não “encha linguiça”, rs. Clareza, objetividade e foco sempre.

        3) Palavras-chave

        São a fonte de conexão do seu texto com o usuário que, através dos buscadores, tenta obter respostas e/ou soluções para seus problemas.

        Para todo tema temos palavras-chave essenciais, que são AS palavras do seu texto, o verdadeiro foco. Observe a figura abaixo:

        DIREITO e CONSUMIDOR são as palavras centrais. Provavelmente, serão as primeiras opções do usuário no buscador (na imagem em vermelho).

        Onde colocá-las? No título, sempre, pois é o seu outdoor de publicidade (na imagem, seta azul) e no início do conteúdo, para que o buscador identifique com facilidade que naquela página existe um conteúdo que atende ao tema proposto pelo usuário (na imagem em preto).

        Não adianta usar as mesmas palavras-chave no texto inteiro achando que vai rankear no topo da primeira página dos buscadores (erro muito comum). As variações da mesma palavra e sinônimos também são bem vindos.

        Lembre-se de utilizar termos que se adequem ao seu tema/nicho (na imagem em amarelo) para abarcar a grande maioria das possibilidades de pesquisa.

          4) URL’s amigáveis

          Qual dos endereços abaixo parece mais amigável para você?

          Tenho certeza que a maioria respondeu a primeira opção, correto?

          URL amigável é aquela de fácil compreensão tanto para quem acessa o site, quanto para os mecanismos de busca. Quanto menos elementos ela tiver melhor para rankeamento da página. Se contiver sua palavra-chave então, perfeito.

          O JusBrasil possui URL amigável, ou seja, é a plataforma ideal para advogados que desejam expor seus textos. Você não precisa gastar fortunas criando um site, basta escolher páginas confiáveis e seguras e mandar ver na montagem do seu portfólio.

          Para criar autoridade em uma área ou assunto não é preciso dinheiro e sim conhecimento, tempo, vontade e determinação. Os bons serão vistos pelos buscadores mas, também e principalmente, pelos potenciais clientes.

          Se existe maneira melhor de “vender” seus serviços advocatícios do que compartilhando conhecimento e informação, eu desconheço.

            5) Tempo de permanência na página

            Principal fator de rankeamento do Google, pois demonstra que o conteúdo daquela página é de qualidade e prende o usuário.

            Por isso, mais uma vez, vou bater na tecla da excelência do seu texto: boa introdução, frases conexas, coerência, conteúdo esclarecedor e voltado para o leitor/nicho.


            Não tem erro pessoal: é exercitar a escrita escrevendo, principalmente para desenvolver o SEO.

            O melhor e maior marketing jurídico começa com você mesmo, seja sua melhor vitrine.

            Dúvidas me gritem, espero poder ajudar.

            Fonte imagem: FreePik

            1 Comentário

            Faça um comentário construtivo para esse documento.

            Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

            Parabéns Dra! Texto excelente! continuar lendo

            Muito bom! continuar lendo